O Expresso Regional

Após operação da PF, será difícil ouvir Lula no Congresso devido a “blindagem”

Após operação da PF, será difícil ouvir Lula no Congresso devido a “blindagem”

Após operação da PF, será difícil ouvir Lula no Congresso devido a “blindagem”
novembro 28
07:28 2012

Base aliada não deve aprovar o convite

Entre as convocações de envolvidos com o suposto esquema de corrupção e tráfico de influência investigados pela Operação Porto Seguro, da Polícia Federal, uma delas é dada como certa de que não acontecerá: a do ex-presidente Lula.

A oposição quer convocá-lo devido a supostas ligações telefônicas — um número alto — para a ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Nóvoa de Noronha.

O líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno, acredita que o ex-presidente deve se explicar aos parlamentares.

— Lula deveria vir a público se explicar e falar sobre a sua relação com Rosemary.

O presidente nacional do PPS, deputado Roberto Freire, acredita que a relação entre Rosemary e Lula deve ser investigada.

— Ela o acompanhava nas viagens e era muito íntima de Lula.

Freire diz que a convocação de Lula é algo difícil de acontecer na Câmara, devido à maioria composta pela base aliada do governo federal, que não aprovaria a medida.

— Estamos com dificuldades de convocar até pessoas do segundo escalão, imagine o Lula.

O líder do PT na Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia deu declaração na qual afasta o envolvimento do ex-presidente nas denúncias.

— Não faz sentido tentar envolver Lula na história. A oposição tem de encontrar outro discurso.

Nesta segunda-feira (26), a presidente Dilma Rousseff decidiu mudar a estrutura do escritório da Presidência em São Paulo e acabar com o cargo de chefe do gabinete do órgão.

Com isso, ficará extinto o posto que até então era ocupado por Rosemary e toda a coordenação do escritório paulista passará a ser feita em Brasília.

Fonte: R7

Artigos relacionados

0 Comments

Sem comentários

Nenhum comentário até agora. Quer começar?

Comentar

Comentar

Your email address will not be published.
Required fields are marked *