O Expresso Regional

Cananéia (SP) recebe espetáculo premiado e oficina teatral com entrada gratuita

Cananéia (SP) recebe espetáculo premiado e oficina teatral com entrada gratuita

maio 17
22:55 2013

Cultura –

Boa Companhia apresenta ‘Cartas do Paraíso’, inspirado em relatos de jesuítas e viajantes sobre a Terra Nova, e compartilha, com oficina, procedimentos utilizados na criação da obra.

ER

Da Reportagem

Agenda eventos & shows litoral e vale do ribeiraMais de 500 anos depois de jesuítas terem aportado no litoral brasileiro, a Boa Companhia, de Campinas, viaja a antigas “capitanias” com espetáculo inspirado nos relatos dos viajantes que empreenderam a primeira aventura globalizante da humanidade. Nos dias 24, 25 e 26 de maio, Cananéia, SP, recebe o espetáculo Cartas do Paraíso e a oficina Um corpo em estado de viagem, que compartilha os procedimentos utilizados na criação da obra.

Do espetáculo, serão realizadas três apresentações: nos dias 24 e 25, às 20 horas, no Centro Comunitário de Cananéia, e no dia 26, às 16 horas, na Aldeia Indígena do Acaraú. Também nos dias 24 e 25, no Centro Comunitário, será realizada a oficina, aberta ao público e direcionada aos interessados em artes cênicas, das 10h às 13h e das 14h às 18h.

Os eventos, com entrada gratuita, fazem parte de um projeto que se iniciou em São Sebastião e que vai percorrer, além desses dois primeiros municípios, também Santos e Caraguatatuba, a partir de recursos providos pela Secretaria de Estado da Cultura, por meio do Programa de Ação Cultural (ProAC), que contemplou a Boa Companhia, devido à excelência artística do projeto e ao histórico do grupo.

Grupo teatral Boa Companhia. (Foto: Divulgação)

Grupo teatral Boa Companhia. (Foto: Divulgação)

Com a direção artística de Verônica Fabrini, a Boa Companhia atua há 21 anos desenvolvendo pesquisas de linguagem que lhe garantem um lugar de destaque na cena contemporânea. A encenação do espetáculo Cartas do Paraíso, emblema dessa pesquisa, foi concebida a partir do trabalho do ator, nutrindo-se de elementos de outras artes cênicas, como a dança, música, performance e mídias audiovisuais, tendo, no elenco, Alexandre Caetano, Eduardo Osorio e Moacir Ferraz, integrantes do grupo desde a fundação, e Gustavo Valesi, ator convidado.

O espetáculo

A dramaturgia tem como principal fonte de inspiração cartas escritas por jesuítas, exploradores e viajantes, nos primeiros tempos desta Terra de Santa Cruz, Pindorama ou mítica Hi-Brasil. A radical diferença entre as duas visões de mundo foi o ponto de partida para a criação de uma poética luso-tropicalista, pautada na mestiçagem, no encontro e no confronto de imaginários tão ricos: o do Portugal renascentista e mercantilista e a cultura indígena brasileira, sendo ela mesma extremamente múltipla.

Nas primeiras cartas de jesuítas e viajantes, a terra nova é comparável a um paraíso na Terra (quiçá o próprio paraíso), o que, no imaginário cristão, evoca tensões. Por um lado, a ideia de um além, de um depois do fim e antes do princípio, lugar mítico na terra governado por Deus e pelo bem, território sagrado de concretização da experiência material/transcedental da vida. Por outro lado, a imagem de paraíso carrega tanto a ideia de redenção, paz e equilíbrio, quanto a ideia do pecado, da queda representada nas figuras de Eva, a serpente e o fruto do conhecimento. Poderia “paraíso” ter para nós um significado atual? Qual seria o nosso fruto proibido?

Apoiada em pesquisas bibliográficas, iconográficas e sonoras, a encenação busca orquestrar essas informações, sem, no entanto, pretender uma reconstrução histórica. O espetáculo acompanha as metamorfoses da ideia de Paraíso, projetada pelo imaginário europeu na terra de Pindorama (Terra de Santa Cruz), e busca a reverberação disso na construção de uma singularidade brasileira, acelerando a passagem do tempo, atravessando o movimento modernista (bradando tupi or not tupi!), o tropicalismo (Aqui é o Fim do Mundo, de Torquatro Neto), até desembocar na complexidade atual da crise ambiental, da crise ética, neste cenário pré-apocalíptico de um mundo globalizado e bárbaro.

A oficina

Ministrada por Verônica Fabrini, diretora do espetáculo e da companhia, e por Eduardo Osório, que integra o elenco, a oficina Um corpo em estado de viagem será realizada nos dias 24 e 25 de maio, no Centro Comunitário de Cananéia. O intuito é compartilhar, com atores e interessados nas artes da cena, alguns procedimentos utilizados na montagem do espetáculo Cartas do Paraíso.

A partir do trabalho corporal e musical, a oficina explora, com os participantes, os fluxos entre personagem, figura cênica e “estados” inspirados pela ideia de viagem, dessa estranha suspensão que ocorre nos trânsitos, quando abandonamos um passado, mas ainda não habitamos um futuro. Essa sensação de estar no limite é o mote para dar corpo a alguns trechos escritos pelos primeiros viajantes de Pindorama – Vera Cruz.

Serviço

Espetáculo Cartas do Paraíso

Dias: 24 e 25 de maio – 20 horas – Centro Comunitário de Cananéia (Paulo Porfírio Paiva, s/n)

26 de maio – 16 horas – Aldeia Indígena do Acaraú

Entrada gratuita

Oficina Um corpo em estado de viagem

Dias: 24 e 25 de maio

Horário: das 10h às 13h e das 14h às 18h

Local: Centro Comunitário de Cananéia

Inscrição gratuita

Mais informações:

Departamento Municipal de Cultura – (13) 3851-1930

Apoio: Ação Cultural do Portal de Notícias ER  e jornal Expresso Regional

Artigos relacionados

0 Comments

Sem comentários

Nenhum comentário até agora. Quer começar?

Comentar

Comentar

Your email address will not be published.
Required fields are marked *