O Expresso Regional

Lama que apareceu em praias de Peruíbe pode ter como origem o Rio da Prata, na Argentina, porém, ainda requer análise da Cetesb

 Últimas notícias

Lama que apareceu em praias de Peruíbe pode ter como origem o Rio da Prata, na Argentina, porém, ainda requer análise da Cetesb

Lama que apareceu em praias de Peruíbe pode ter como origem o Rio da Prata, na Argentina, porém, ainda requer análise da Cetesb
junho 06
12:57 2017

A “misteriosa” lama que atingiu parte das praias de Peruíbe, no litoral de São Paulo, pode ter vindo do Rio da Prata, na Argentina, de acordo com publicação do jornal A Tribuna, desta terça-feira (6). A conclusão sobre a possível origem do material é do engenheiro Gilberto Berzin, professor e especialista em circulação oceânica. “Pela foto publicada em A Tribuna percebe-se que o material é argila. Este material foi trazido pela corrente marítima”, explica.

Berzin fortalece sua tese com base em estudos elaborados por Felipe Pimenta e outros pesquisadores da USP. “A argila é tão fina que em um grão de areia cabem centenas de grãos de argila. Ou seja, isso facilita o transporte desse material pelas correntes marítimas que vêm do Sul. Como no início da semana passada houve mudança na maré, ele veio em direção à praia, no caso em Peruíbe”.

Ainda de acordo com a matéria, o professor destaca que o material tem características da argila encontrada na região do Rio da Prata, cuja desembocadura no oceano lança diariamente centenas de toneladas de sedimentos em até mais de 200 milhas da costa.

O material despejado pelas ondas do mar tomou conta de pelo menos 3 km da faixa de areia das praias centrais, desde a última quarta-feira (31). Além da lama haviam carcaças de pequenos siris, peixes, ostras, cracas, bolachas-do-mar e muitas conchas vazias.  tomou conta de pelo menos 3 km de faixa de areia, desde a última quarta-feira (31).

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – Cetesb, no domingo (4), coletou amostras dos sedimentos, e os resultados finais devem sair em 15 dias. Segundo a Cetesb, na avaliação microscópica da amostra de água do mar não foram encontradas algas nocivas que pudessem afetar os organismos.

Sobre o autor

Tuca

Tuca

Artigos relacionados

0 Comments

Sem comentários

Nenhum comentário até agora. Quer começar?

Comentar

Comentar

Your email address will not be published.
Required fields are marked *

Aperte o play para a melhor, rádio NOVA TUPI!

Visite nosso CANAL no Facebook

Canal Expresso Regional

Portal de Notícias ER

O Expresso Regional Baixada Santista

Participe do ER

Envie notícia

O Expresso Regional Vale do Ribeira