O Expresso Regional

Um bilhão de dólares pelo ralo: transação suspeita na compra de Pasadena compromete Dilma

Um bilhão de dólares pelo ralo: transação suspeita na compra de Pasadena compromete Dilma

Um bilhão de dólares pelo ralo: transação suspeita na compra de Pasadena compromete Dilma
março 21
14:38 2014

Tuca 2

Por Tuca Fumagalli

Pagamos pela gasolina e seus derivados no Brasil, o preço mais caro do mundo, apesar de auto-suficientes em petróleo. Esse abuso no valor dos combustíveis tem uma explicação lógica, que é o custeio de prejuízos causados por negociatas e incompetências governamentais. O exemplo mais recente é a compra da refinaria de Pasadena durante o governo Lula.

A transação suspeita de Pasadena, que fica no estado norte-americano do Texas, está comprometendo a saúde financeira da empresa brasileira Petrobrás. Um negócio recheado de detalhes escusos, custou ao Brasil a fortuna de US$ 1,18 bilhão jogados pelo ralo.

Foto reprodução

Foto reprodução

A compra da refinaria é investigada pelo Tribunal de Contas da União, Ministério Público e pela Polícia Federal. A principal polêmica é o preço do negócio: o valor que a Petrobras pagou em 2006 à Astra Oil para a compra de 50% da refinaria é oito vezes maior do que a empresa belga havia pago, no ano anterior, pela unidade inteira.

Menos de um ano antes do negócio feito pela Petrobras, a refinaria de Pasadena foi adquirida por apenas U$ 42 milhões pela empresa belga Astra Oil. Por metade da refinaria, a Petrobras pagou, meses depois, US$ 360 milhões. Uma cláusula no contrato obrigou a petroleira brasileira a adquirir a outra metade, fazendo com que o negócio chegasse à cifra de US$ 1,18 bilhão.

Foto reprodução

Foto reprodução

À época, a presidente Dilma Rousseff, então chefe da Casa Civil do governo Lula, presidia o Conselho Administrativo da Petrobras e, aprovou o negócio. Com a recente repercussão do escândalo, o Palácio do Planalto divulgou nota na quarta-feira (19) informando que a presidente aprovou a compra da refinaria com base em laudo técnico considerado “falho”. Com a nota, a presidente Dilma reconheceu oficialmente que é incompetente, contrariando a fama de que é uma especialista em questões de minas e energia, como alardeou Lula durante seus dois governos.

É fato que todos querem escapar do patíbulo da opinião pública e das garras da lei, mas agora é tarde demais para qualquer explicação.
Dilma, na condição de presidente do Conselho de Administração da Petrobras, é a principal responsável pela compra da refinaria de Pasadena.

De acordo com técnicos observadores, desde que assumiu o poder, em janeiro de 2011, a presidente Dilma vem acumulando um prejuízo financeiro à Petrobras e a Eletrobras, de cerca de US$ 100 bilhões em valor de mercado.
Fonte: ucho.info

Para ler mais notícias, curta a página do Expresso Regional no Facebook, siga nosso Twitter ou adicione ao Google+

Clique no ícone abaixo para a página principal

Logo caixa pequena

Artigos relacionados

0 Comments

Sem comentários

Nenhum comentário até agora. Quer começar?

Comentar

Comentar

Your email address will not be published.
Required fields are marked *